À Sombra de Gigantes

Capa do livro
Compartilhe!

Imagine que você, fã de futebol, vai fazer um “euro tour futebolístico”. Vai passar por cidades como Madri, Londres, Munique, Turim, entre outras, visitando estádios e assistindo a dezenas de jogos de futebol. Certamente a maioria iria pensar em assistir o Real Madrid, Arsenal, Bayern, Juventus e por aí vai. Mas não é o caso aqui. Conheça a(s) história(s) do gaúcho Leandro Vignoli.

Jornalista com passagens em rádios, revistas e redação, Vignoli fez esse tão sonhado “euro tour”. Porém, ele decidiu assistir às partidas do lado B das cidades europeias. Os times menores que vivem À Sombra de Gigantes, nome dado ao seu livro lançado em decorrência da viagem.

Em Madri, ele recusou o gigante Real e foi assistir a uma partida do Rayo Vallecano; em Turim, ignorou a Juventus e foi atrás do Torino; em Londres, berço de diversos grandes times, foi a um bairro operário em busca do Millwall. Tudo para entender os torcedores de times pequenos.

Este torcedor não torce por determinado time devido à sua grandeza, seus títulos, vitórias ou quaisquer conquistas. A sua relação com o futebol e com seu time é diferente. Isso vem de família, ou através de uma identidade com o seu bairro e até mesmo as bandeiras e causas sociais levantadas pelas equipes. Claro que isso pode despertar a paixão por um gigante, mas, no caso dos pequenos, existe algo a mais.

“É fácil escolher o outro time nesta cidade, então sentimos que torcer pelo Torino é, na verdade, ser um escolhido”. Fala do torcedor do Torino, Gian Paolo Casana, uma entre as diversas histórias presentes no livro.

Faça uma reflexão: se o seu time, na sua última partida na 1ª divisão até então, perdesse de 8×1 para o maior time da cidade e até mesmo do país, qual seria a sua reação?

Uns xingariam, outros chorariam e alguns até abandonariam a partida no 4º ou 5º gol. A torcida do St. Pauli, da Alemanha, não arredou o pé enquanto os jogadores não fizeram a sua tradicional saudação, em que a torcida canta e faz uma coreografia. Na ocasião, em 2011, o Bayern tinha aplicado a tal goleada e os 25 mil torcedores presentes aguardaram até o fim.

Esses são apenas alguns recortes do livro que mostram que a paixão pelo seu clube vai além de qualquer conquista. Muitos dos times jamais ganharam um título. Mas a torcida continua apoiando e comparecendo ao estádio, pois este é o seu papel e isso mostra o amor incondicional ao escudo da sua camisa.

Confira a entrevista do autor ao site Última Divisão.

Deixe uma resposta