O prazer feminino e sua transgressão na música

Compartilhe!
  • 12
    Shares

O prazer feminino sempre foi um tabu para a história mundial. Seja no ocidente ou no oriente, o orgasmo da mulher muitas vezes foi e é oprimido pela cultura.

Com os estudos feministas cada vez mais em voga, as mulheres estão ganhando mais espaço de fala para demonstrarem suas ideias, opiniões e reivindicarem os seus direitos iguais. O prazer, é só mais um tópico que elas vêm abordando em suas lutas por equidade.

Na música não é diferente. Ela pode ser usada como um instrumento de militância e de expressão de ideias e vozes. Cada vez mais vemos artistas, através de suas canções e vídeos, expressarem suas opiniões sobre diversos assuntos e, muitas vezes, usando dessa ferramenta para dar visibilidade aos tópicos que ficam à margem da sociedade.

Cantando o prazer feminino

O prazer feminino na música não é algo novo. Por mais que tenha sido um assunto tabu por muitos anos, e de certa forma ainda é, não é de hoje que artistas expressam em suas canções o prazer do sexo.

Mulher cantando sobre sexo é transgressor! O homem sempre teve o privilégio de falar sobre o seu prazer, e ainda ganhar um status de galã. Para elas, cantar sobre o seu prazer, sempre trouxe julgamento por parte da mídia e da sociedade.

Ainda hoje, nota-se que quando uma mulher explora a sua sexualidade na música, seja falando sobre os seus diversos parceiros ou falando de seu orgasmo, gera uma comoção midiática, como se fosse algo errado, pecaminoso e vulgar.

Elas são chamadas de vadias e vagabundas e tem o talento colocado a prova, por fazerem o mesmo que grandes cantores já fazem há anos na história da música. Suas canções raramente ganham o mesmo destaque que o dos homens, muitas vezes são boicotadas nas rádios e suas carreiras não ganham o reconhecimento que deveriam.

6 canções femininas que explodem de prazer

E assim, para celebrar o prazer feminino na música, selecionei 6 canções de mulheres transgressoras, que expressaram o seu prazer em suas artes. Porque, afinal, mulheres fazem sexo também, e podem cantar sobre isso sim!

Rita Lee – Mania de Você!

A rainha do rock do Brasil não poderia ficar de fora desta lista! Rita Lee, muitas vezes explorou, não só a sexualidade, mas como também deu voz ao feminismo em suas músicas. Por conta disso, chegou a ser censurada algumas vezes pelos militares aqui no Brasil.

Mas, Mania de Você, não só passou pela censura, como fez um tremendo sucesso. A canção trata nada mais, nada menos do que uma transa com o seu marido Roberto de Carvalho.

Rita, em seu livro biográfico, Rita Lee: Uma Autobiografia (Globo, 2016), conta que a música foi escrita em 5 minutos após uma “recém-trepada perfeita”. E assim, nos presenteia com uma música pra lá de prazerosa.

Britney Spears – Touch Of My Hand

A princesinha do Pop começou a carreira com uma imagem a lá Lolita. Com o seu pop açucarado e imagem de namoradinha da américa ela conquistou os adolescentes e crianças do final dos anos 90 e início dos anos 2000.

Mas como todo mundo um dia cresce, Britney também cresceu. No auge dos seus 21 anos, Spears lançou seu 4º álbum de estúdio, In The Zone (2003), que a consolidou de vez na música pop e mostrou o seu amadurecimento, tanto artístico, quanto pessoal.

Touch Of My Hand deixa bem claro que a cantora já não era mais uma menininha. A canção, co-escrita por Spears, fala sobre conhecer e explorar o prazer no próprio corpo, em outras palavras, a velha e boa masturbação.

Britney canta que não precisa de um amante para sentir prazer, apenas do toque de sua mão!

Gaiola das Popozudas – Quero te dar

Falar sobre sexo e prazer feminino sem colocar nenhum funk, é praticamente uma heresia!

A música Quero te Dar, do grupo Gaiola das Popozudas, já tem um título autoexplicativo. Valesca, a vocalista do grupo, canta sobre a vontade que tem de, simplesmente, querer transar.

A canção pode soar ofensiva para alguns ouvidos mais conservadores, mas é, definitivamente, um dos hinos da liberdade sexual das mulheres brasileiras. É como se a cantora dissesse: doa a quem doer, mulher também tem vontade e prazeres sexuais.

Cyndi Lauper – She Bop

Se Britney Spears causou polémica por cantar sobre masturbação há alguns anos, imagine isso lá nos anos 80.

She Bop é uma música aparentemente inocente, mas que na verdade tem um sentido um pouco mais safadinho. Ela utiliza de diversos eufemismos para falar sobre masturbação.

Dessa forma, a canção não agradou nenhum um pouco a sociedade conservadora americana, que publicou uma lista de 15 músicas impróprias para serem tocadas nas rádios. E adivinha quem estava no 15º lugar? Sim, She Bop.

Mas tudo isso foi um tiro no pé, porque a canção acabou alcançado o topo da principal parada de singles da Billboard.

A música acabou gerando outra polémica quando Cyndi Lauper revelou que a compôs com a intensão de que as crianças ouvissem e que, conforme fossem crescendo, começassem a entender o real significado da canção.

Elza Soares – Pra Fuder

Aos 85 anos, Elza Soares lançou o seu 32º disco de estúdio, mostrando que tem muito ainda o que falar.

A Mulher do Fim do Mundo, lançado em 2015, mostra uma Elza falando sobre violência doméstica, negritude, transsexualidade e também do prazer feminino.

Na canção Pra Fuder, Soares canta o desejo de uma mulher para o sexo. A letra revela o início do ato sexual, com as roupas jogadas ao chão e o desejo exalando e queimando em seu corpo.

Elza mostra que não tem idade ou gênero para ter prazer. Transgressora, ela escancara o prazer que há dentro de si sem nenhum receio, e nos presenteia com um uma música forte e cheia de atitude.

Madonna – Erotica

Logicamente que a rainha do Pop não poderia ficar de fora dessa lista. Madonna é uma das cantoras que mais cantou sobre o prazer feminino na música, a crítica gostando ou não.

Lá em 1992, Madonna chocou o mundo ao lançar o livro SEX (Warner Books, 1992), que continha fotos extremamente sensuais e histórias sobre suas fantasias sexuais, contadas pelo alter ego Dita.

Junto com o livro, ela lançou o disco e o single Erotica (1992). A canção traz uma letra em que Madonna te convida a sentir o prazer no sadomasoquismo. Com um clipe contendo um pouco dos bastidores do ensaio fotográfico do polêmico livro, a cantora foi alvo de muitas, mas muitas críticas.

Mas isso não afetou nenhum pouco a qualidade de seu trabalho. Madonna seguiu firme e forte quebrando tabus de uma sociedade machista, que não se conformava com uma mulher mostrando suas fantasias sexuais abertamente.

Seis canções, obviamente, não abrangem as inúmeras canções femininas que abordam o prazer da mulher. Então, você achou que faltou alguma? Comente qual é aquela canção de prazer feminino que você mais gosta aqui nos comentários, e confira as músicas selecionadas na nossa playlist do Spotify.

Deixe uma resposta